PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO

ESTADO TEM GARANTIA DE ABASTECIMENTO DE ALIMENTOS

Com base em decreto, serviço é considerado essencial.

Até o momento, a crise gerada pela pandemia do novo Coronavírus não afetou de modo significativo a produção e distribuição de alimentos no Rio Grande do Sul. É um serviço considerado essencial, assim como atendimento de saúde. O trabalho da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Estado tem sido intenso para garantir o abastecimento aos gaúchos. Nas últimas semanas, a pasta adotou medidas de prevenção para manter o fluxo produtivo — sem entraves e com segurança para o bem-estar dos servidores e da sociedade.

“Decreto estadual determina que a cadeia completa do agronegócio é essencial, garantindo a manutenção da produção, funcionamento da indústria, transporte, fiscalização, inspeção e vigilância. Todos estão trabalhando para não ocorrer nenhum tipo de desabastecimento para a sociedade gaúcha, sem deixar de lado a prevenção e proteção com a saúde", afirma o secretário da Agricultura, Covatti Filho.

 

Estabilidade e normalidade

Hoje, a indústria e o abastecimento do comércio atacadista e varejista estão com atividades dentro da normalidade. A oferta de grãos, carnes, frutas e verduras segue estável em todo o Estado. Responsável por 40% do Produto Interno Bruto (PIB), o setor do agro no Rio Grande do Sul tem sido um motor permanente, provendo alimentos necessários à população.

"Se ocorresse uma paralisação da produção e das atividades nas indústrias, em questão de dois dias não haveria mais vegetais nos supermercados. E, a partir do quarto dia, já não encontraríamos mais proteína animal. Por isso, agradeço a todos os produtores, empresários, funcionários, profissionais da defesa agropecuária e servidores da secretaria pelo empenho para garantir o abastecimento de alimentos no Estado. O agro não pode parar", diz Covatti Filho.

 

Medidas para manutenção da atividade

Confira as ações adotadas pela Secretaria para a continuidade da atividade produtiva agropecuária e de comércio de gêneros alimentícios em todos os municípios do Estado:

 

Essencialidade dos serviços

- Decreto Estadual determinando como essenciais as atividades públicas e privadas de produção, distribuição, comercialização e entregas de alimentos; de vigilância e certificações sanitárias e fitossanitárias; de prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e doenças dos animais; de inspeção de alimentos, de produtos e de derivados de origem animal e vegetal; e de vigilância agropecuária.

 

Prevenção

- Envio de equipamentos de segurança para as inspetorias veterinárias de todo o Estado.

- Fiscais Estaduais Agropecuários (FEA) do Serviço de Inspeção Estadual deverão permanecer com as suas atividades nos estabelecimentos de produtos de origem animal em regime reduzido de 6 horas por dia.

- A Ceasa, maior entreposto de hortifrutigranjeiros do Estado, também adotou medidas para que o abastecimento continue normalmente e para reduzir os riscos de contaminação do novo coronavírus

 

Desburocratização

- Produtores rurais podem enviar comprovação de vacinação, declaração de rebanho e emitir a Guia de Trânsito Animal por e-mail ou WhatsApp.

- Autorização temporária para a colocação de lacres em caminhões por médicos veterinários habilitados de integradoras de suíno.

 

 

Comentários